Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Manual do Servidor

DESIGNAÇÃO DE FUNÇÃO GRATIFICADA

DEFINIÇÃO

Ato de investidura do servidor no exercício de função gratificada integrante do quadro da Instituição, com remuneração prevista em lei.

INFORMAÇÕES GERAIS:

  • O ato de posse ou de entrada em exercício só poderá ser formalizado após a prévia apresentação da Declaração de Bens e Rendas, nos moldes das normas vigentes ou autorização de acesso às informações de Bens e Rendas através do acesso ao módulo de requerimento SIGEPE;
  • A portaria de designação para função gratificada será publicada no Diário Oficial da União (DOU), só possuindo efeitos a partir da data da publicação;
  • Quando o servidor estiver em licença ou afastado por qualquer outro motivo legal, os efeitos recairão no primeiro dia útil após o término do impedimento, que não poderá exceder a trinta dias da publicação;
  • O ocupante de função gratificada deve cumprir obrigatoriamente o regime de tempo integral - 40 (quarenta) horas semanais de trabalho, podendo ser convocado sempre que houver interesse da Administração;
  • Ao servidor investido em função gratificada é devido um pagamento de acordo com a função exercida, nos valores fixados conforme legislação específica;
  • O servidor em exercício de função gratificada perderá o pagamento respectivo a partir do início do gozo de Licença-Prêmio por Assiduidade, Licença para acompanhar pessoa enferma da família e afastamento para curso;
  • O servidor designado para função gratificada será dispensado quando se afastar do ou no País, por um período superior a 90 (Noventa) dias;
  • O servidor designado para função gratificada não poderá receber pagamento de Adicional por Serviços Extraordinários (Hora-Extra);
  • O servidor em estágio probatório poderá exercer, na Instituição, funções gratificadas;
  • Ao servidor efetivo, investido em cargo de comissão ou função gratificada, não há como garantir a concessão de horário especial de estudante, visto que existem situações emergenciais em que é imprescindível a presença do servidor investido em chefia, no local de trabalho e, nestes momentos, não haverá possibilidade de conciliação do exercício da função, com o estudo em horário especial;
  • Em casos de designação por mandato eletivo, a unidade acadêmica deverá encaminhar, com antecedência de 30 dias, a ata de designação da chapa eleita para garantia do início do mandato no período solicitado, caso contrário, a designação será a partir da data de publicação no Diário Oficial da União;
  • Todas as demais designações terão efeito a partir da data de publicação do ato no Diário Oficial da União.

REQUISITOS BÁSICOS:

Ser ocupante de cargo público em caráter efetivo do quadro próprio da Instituição

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA:

  • Memorando da unidade, contendo a ciência da chefia imediata, solicitando a designação do atual servidor para ocupar a função e, quando for o caso, informar nome e data para a dispensa do servidor que ocupava a função anteriormente;
  • Preenchimento e assinatura da Declaração de Nepotismo
  • Em casos de eleição, deverá ser anexada a ata da mesma, com antecedência de 30 dias;
  • Informar número do requerimento do SIGEPE o referente ao Formulário de acesso ao imposto de renda preenchido.

PROCEDIMENTO:

Etapa Unidade Procedimento
1 Protocolo Geral Protocolização da documentação exigida
2 CATEC Analise processual
3 CRMP Emissão de Portaria e Registro no SIAPE
4 CAP Ajustes financeiros na Remuneração do servidor
5 Arquivo Setorial Arquivar na pasta funcional do servidor

FUNDAMENTO LEGAL:

  • Artigos 15, § 4º, 19, §1°, 20, §3° e art. 62 da Lei nº 8.112, de 11/12/90 (DOU 12/12/90)
  • Instrução Normativa – TCU nº 67, de 6 de julho de 2011
registrado em:
Fim do conteúdo da página